Peças OEM e Aftermarket: diferenças & vantagens

As peças OEM (Original Equipment Manufacture) correspondem a peças produzidas pela fabricante de equipamento original. Ou seja, os equipamentos são desenvolvidos pela mesma marca que produz o veículo.

No entanto, algumas peças podem ser produzidas por uma fabricante autorizada. Na maioria dos casos, a construtora do automóvel produz a carroçaria, chassis e os principais componentes do motor, as restantes peças são produzidas por fabricantes externos. A construtora fornece as especificações dos componentes que necessita e, no final, adiciona o seu logotipo nas peças. Neste caso, podemos falar de OES, isto é, Original Equipment Supplier.

As peças OEM e OES são de elevada qualidade e de preço alto. Este tipo de peças encontra-se apenas disponível na rede de concessionários oficiais. Alguns dos fornecedores destes componentes são a Bosch, Bilstien, Boge, Beru, Mann e ATE.

Ainda sobre as peças originais de fabricante podemos encontrar as OEM usadas. E o que são? São peças originais em segunda mão, ou seja, retiradas de veículos em fim de vida e aptas para voltarem a ser utilizadas.

Assim, as OEM usadas mantêm a mesma qualidade que as originais, uma vez que são provenientes dos mesmos fabricantes. Apenas têm a particularidade de terem sido já usadas num veículo. Contudo, estas peças podem ter uma durabilidade maior do que o carro onde estão inseridas. Por esse motivo, estes equipamentos ainda podem ser reaproveitados.

Todavia, é importante avaliar as peças, bem como as plataformas e estabelecimentos que vendem estes equipamentos. Uma vez que está a comprar uma peça já usada, deve analisar a reputação do comerciante, assim como as políticas de devolução e garantia das peças.

Por outro lado, as peças aftermarket são produzidas por empresas terceirizadas independentes. Como não estão associadas à marca do automóvel, os equipamentos não são totalmente produzidos com as especificações da construtora.

Geralmente, estas peças são concebidas de forma a encaixar em dois ou três modelos de automóveis semelhantes. Isto significa que esta tipologia de peças está associada a uma menor qualidade de produção, já que o seu valor também é muito mais baixo relativamente às OEM.